A vítima

silencio

Silêncio…,

O recinto não estava vazio, ele nunca esteve e talvez esse fosse o erro,

O silêncio foi causado pelo corpo que caia ao chão,

Os olhares que antes se desviavam, se inquietavam procurando um culpado,

estávamos sempre lá,

estavam todos lá quando aconteceu,

ouvindo calados, sentados, em pé, passando, perambulando, olhando.

Estávamos lá…,

antes do primeiro soco ou até mesmo da primeira lágrima,

estávamos lá quando a primeira palavra foi pronunciada,

e os risos que diziam ser tão inocentes foram clamados,

e os olhares esses se direcionavam procurando motivos para o ato,

cor,

sexo,

olhos,

cabelo,

amores,

desejos,

diferenças,

uma mão tentou parar um dos socos, mas era uma única mão contra todas,

as lágrimas desse se cruzou com a da vítima…, eles se conheciam…

era sua família,

amigo,

conhecido,

amor.

Alguns se identificaram com essa dor, e sentiram como se ela também fosse sua,

mas houve apenas uma única mão que tentava parar tantas mãos.

Ouvia-se gritos, gritos de raiva.

Olhares enfurecidos, quase tão vermelhos quanto o liquido que saia daquela vítima.

Os olhos novamente procuravam por algo,

ou talvez apenas tentassem se esconder em meio a aquilo tudo.

”mas continuavam ali”.

E finalmente todos os olhares se cegaram pela cena,

estava caído ao chão a vítima de todos nós.

Texto de: Juliana Marques

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s